Dez dicas para melhorar a alimentação das crianças – Cid Pitombo

Dez dicas para melhorar a alimentação das crianças

2021-11-30T16:30:37+00:00 29/11/2021|

 

 

O maior presente que os pais podem dar a seus filhos é cuidar da saúde deles. E esse cuidado significa oferecer a eles desde muito cedo apenas alimentos saudáveis. Eu visitei muitas creches e escolas e lá sempre vejo alimentação de qualidade, muitas vezes, quem estraga o hábito das crianças é a família. E o resultado é a obesidade se instalando muito cedo.

O mundo está com cerca de 43 milhões de crianças obesas e 92 milhões estão com sobrepeso. Não é raro, por exemplo, a mãe determinar que não se ofereça nada com açúcar para a criança pequena, mas uma avó, babá ou irmão mais velho dar escondido para fazer um pequeno agrado.

Qual o problema de oferecer a primeira vez? A criança vai adorar aquele sabor e vai passar a rejeitar os legumes que vinha aceitando desde bebê. É comum crianças chorarem na hora do almoço ou jantar pedindo biscoitos ou sorvetes, que são cheios de gordura, sal ou açúcar. Eles fazem substituições porque não entendem que faz mal, e alguns pais acabam cedendo com muita facilidade para acabar com a choradeira.

E a obesidade vai se instalando aos poucos, a criança engorda dois quilos a mais num ano, dois a mais no outro, e quando passam os anos, está com o excesso de peso e enfrentando muito mais dificuldade para perder tudo que acumulou em todo esse tempo.

E, além de enfrentar os problemas de saúde associados à obesidade, como hipertensão, diabetes, gordura no fígado, problemas renais e cardiovasculares, a criança e o adolescente enfrentam o preconceito entre amigos, o conhecido bulliyng. Desse problema, surgem os outros emocionais, como ansiedade e depressão.

O que eu recomendo aos pais: sejam duros, imponham limites sem pena às crianças. O ideal é que não comprem alimentos cheios de gordura, farinha, açúcar, sal, conservante, como os industrializados. Porque se eles comem na frente das crianças, uma hora elas vão pedir. O exemplo tem que partir da família. Alimento é carne, preferencialmente branca, legumes, frutas, verduras, arroz e feijão. Batata doce, milho ou aipim cozido podem substituir pão. Banana com ovo e aveia faz uma excelente omelete. As crianças podem auxiliar na preparação das comidas saudáveis.

Cuidar da saúde dá um pouco mais de trabalho, mas também pode ser divertido. Os pais podem brincar de correr com os filhos, andar de bicicleta e ajudar os pequenos a deixarem de lado o entretenimento audiovisual em ampla oferta na tv e na internet, além dos vídeos games. O que fazemos hoje vai se refletir lá na frente. Abaixo, deixo algumas dicas que podem ajudar nessa batalha contra a obesidade:

1 – Não compre, não deixe no armário, ao alcance deles, as guloseimas, como biscoitos recheados. Se comprar para dar eventualmente, deixe escondido e controle a quantidade que oferece. Jamais entregue nas mãos dos seus filhos, um pacote inteiro de batata frita ou biscoito recheado. Ele não vai parar de comer enquanto não acabar.

2- Estabeleça regras como: só pode comer um biscoito doce se almoçar bem e depois de ter ingerido uma fruta como sobremesa. Se não comer o que é saudável, jamais deixe que ele coma o doce.

3 – Tire a criança do sedentarismo. Não praticar atividade física deixa a criança mais ansiosa e ela pode compensar a inquietude natural da infância comendo além do que precisa. O prazer de comer é um calmante. O açúcar mais ainda. Quem pratica atividades físicas sente menos falta das guloseimas. Vale pular corda em casa, fazer polichinelo. A criança gosta de se mexer e tendo um adulto junto, vira brincadeira em família.

4 – Cuide do sono do seu filho. A criança precisa dormir mais do que adultos. Quem acorda cedo para ir à escola, tem que deitar cedo. Se a criança se envolve com a família até tarde, por exemplo, com a TV ligada, leve-a para o seu quarto, conte uma história, até que durma.

5 – Estabeleça horários para que ela se alimente e crie uma rotina alimentar.

6 – Crie jogos que a estimulem experimentar sabores diversos

7 – Ofereça apenas alimentos saudáveis desde pequenos. Quem oferece biscoitos, por exemplo, acaba tendo um filho que chora por biscoito na hora do jantar. Evite ao máximo oferecer guloseimas a crianças muito pequenas. Ao se acostumar a comidas com mais açúcar e também com mais sal, elas tendem a começar a rejeitar os legumes saudáveis que comia super bem quando bebê.

8 – Envolva o seu filho o máximo possível na preparação de alimentos coloridos e saudáveis.

9 – Tente adicionar ao feijão o caldinho de legumes que ele não aceita.

10 –Seja exemplo para o seu filho. Não coma alimentos industrializados na frente dele.

Autor: Dr Cid Pitombo